Leituras do dia - 3/3/2021

Ver todo o calendário

  • Segunda Semana da Quaresma

     

     

    Jr 18, 18-20

     

     

    18 Vinde, disseram então, e tramemos uma conspiração contra Jeremias! Por falta de um sacerdote não perecerá a lei, nem pela falta de um sábio, o conselho, ou pela falta de um profeta, a palavra divina. Vinde e firamo-lo com a língua, não lhe demos ouvidos às palavras! 19 Senhor, ouvi-me! Escutai o que dizem meus inimigos. 20 É assim que pagam o bem com o mal? Abrem uma cova para atentar-me contra a vida. Lembrai-vos de que ante vós me apresentei a fim de por eles interceder e deles afastar a vossa cólera.

  • Segunda Semana da Quaresma

     

     

    Salmo 30, 5-6, 14-16

     

     

    Resposta: “Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!”

     

     

    5 Vós me livrareis das ciladas que me armaram, porque sois minha defesa. 6 Em vossas mãos entrego meu espírito; livrai-me, ó Senhor, Deus fiel.

     

     

    14 Sim, eu ouvi o vozerio da multidão; em toda parte, o terror! Conspirando contra mim, tramam como me tirar a vida. 15 Mas eu, Senhor, em vós confio. Digo: Sois vós o meu Deus. 16 Meu destino está nas vossas mãos. Livrai-me do poder de meus inimigos e perseguidores.

  • Segunda Semana da Quaresma

     

     

    Mt 20, 17-28

     

     

    17 Subindo para Jerusalém, durante o caminho, Jesus tomou à parte os Doze e disse-lhes: 18 Eis que subimos a Jerusalém, e o Filho do Homem será entregue aos príncipes dos sacerdotes e aos escribas. Eles o condenarão à morte. 19 E o entregarão aos pagãos para ser exposto às suas zombarias, açoitado e crucificado; mas ao terceiro dia ressuscitará. 20 Nisso aproximou-se a mãe dos filhos de Zebedeu com seus filhos e prostrou-se diante de Jesus para lhe fazer uma súplica. 21 Perguntou-lhe ele: Que queres? Ela respondeu: Ordena que estes meus dois filhos se sentem no teu Reino, um à tua direita e outro à tua esquerda. 22 Jesus disse: Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu devo beber? Sim, disseram-lhe. 23 De fato, bebereis meu cálice. Quanto, porém, ao sentar-vos à minha direita ou à minha esquerda, isto não depende de mim vo-lo conceder. Esses lugares cabem àqueles aos quais meu Pai os reservou. 24 Os dez outros, que haviam ouvido tudo, indignaram-se contra os dois irmãos. 25 Jesus, porém, os chamou e lhes disse: Sabeis que os chefes das nações as subjugam, e que os grandes as governam com autoridade. 26 Não seja assim entre vós. Todo aquele que quiser tornar-se grande entre vós, se faça vosso servo. 27 E o que quiser tornar-se entre vós o primeiro, se faça vosso escravo. 28 Assim como o Filho do Homem veio, não para ser servido, mas para servir e dar sua vida em resgate por uma multidão.

     

     

    Comentário

     

     

    Não sabeis o que pedis — A tentação do poder entra em toda a parte, até no lugar santo. «Mas entre vós não deve ser assim». Os poderosos do Reino são os que se fazem pequenos e se tornam grandes, os que se fazem servos e são senhores. É a divina sabedoria. Quem mais amar e servir, esse será o maior. O primeiro lugar que pretendo faz-se daquele «mais» que hei de pôr em tudo o que amo e em tudo o que faço. Onde eu estiver, servindo e amando, aí está o primeiro lugar. Não sou eu que o pretendo, mas é ele que me pretende a min. Os primeiros lugares, que ambiciono não se pedem, mas dão-se. «Não sabeis o que estais a pedir».

     

     

    «Podeis beber o cálice?» Quem for revestido de poder tem de beber o cálice que Jesus bebeu, dando a vida em testemunho do amor. O primeiro e o maior do Reino é aquele que serve e «dá a vida» pelos irmãos. Quando assim não for, não é servir, mas ser servido. O êxito de qualquer serviço do Reino está na disposição radical de beber o cálice que Jesus bebeu. «Podemos»!

     

     

    A definição evangélica de poder vem-nos dada num contexto de anúncio da Paixão. A cruz foi o lugar alto a que Jesus subiu, a hora máxima da sua glória e poder. Também na vida do cristão tudo leva um sabor pascal de grandeza e triunfo. Lugares altos e situações de poder têm um preço de sangue. Quem aceita presidir aceita sofrer humilhações e fracassos. É o salário mais certo. Toda a glória e poder traz o sinal da cruz. Outras glórias não há.

     

     

    Senhor, dá-me a glória de servir, o gosto de dar!

     

Share Button

<
>
    Abrir WhatsApp